Revista de Historia de la Psicología – volume 35, nº 3, nº 4 e o boletim nº 53

           A Revista de Historia de la Psicología, publicação trimestral e atualmente vinculada à Sociedad Espanola de Historia de la Psicología (SEPH), lançou no segundo semestre de 2014 seus números 03 e 04 do volume 35, mais o Boletim nº 53. A resenha dos números 01 e 02, bem como de boletins anteriores podem ser encontradas neste blog em artigos já publicados.

            O número 03 da revista, lançado em setembro de 2014, é composto por 4 artigos. Os trabalhos abordam desde personagens como Emilio Mira y López, Ramon Sarró, Enrique Freijo e Juan Vicente Viqueira, como temáticas que versam sobre a Psicologia da Arte, a Guerra Civil Espanhola, a Música e a Psicologia Jurídica. Trata-se de pesquisas sobre a História da Psicologia na Espanha no século XX.

            Sánchez-Moreno trabalha as diferentes perspectivas teóricas de Emilio Mira e Ramón Sarró no campo da Psicologia da Arte e nos mostra como divergências ideológicas teriam conduzido a um conflito entre ambos, no período da Guerra Civil Espanhola. Já Luquin, Alonso, Artetxe e Freijo apresentam e analisam a trajetória de Enrique Breijo Balsebre, tanto no que diz respeito à formação quanto à trajetória profissional, destacando sua relevância para o desenvolvimento e institucionalização da Psicologia na Espanha, na segunda metade do século XX. A pesquisa de Marcos, Tajerina e Trejo busca abordar a obra “Nascimiento y Evolución de la Música”, de Juan Vicente Viqueira, partindo de aspectos biográficos e sócio-institucionais para depois empreender a uma análise mais detalhada de seu ensaio. Por último, o número 03 da revista termina com a pesquisa Sáiz e Sáiz sobre o trabalho de  Claudi Bassols no campo da delinquência infanto-juvenil. Os autores apresentam uma reflexão de Bassols sobre as causas que influenciam a delinquência, bem como as produções de seu trabalho realizado no Laboratório Psicotécnico del Tribunal Tutelar de Menores, entre elas o “Labirinto T” e a “fórmula algébrica da criança”.

            O lançamento do número 04 da revista, em dezembro de 2014, conta com uma série de 6 artigos. Aqui é possível encontrar 03 estudos sobre Emilio Mira y López: o de Carpintero sobre a experiência de Mira y López na URSS, quando este compareceu, em 1931, à VII Conferência Internacional de Psicotécnica; o trabalho de Kaulino que expõe as ideias psicológicas e metodológicas presentes no livro “Psicologia e Esporte”, publicado postumamente; e o texto de García que se apoia sobretudo em fontes primárias para estudar e analisar as ideias de Mira y López sobre a teoria psicanalítica.

            Além desses estudos, o número 04 também conta com a pesquisa de Mora que procura homenagear Havelock Ellis, pioneiro da psicologia sexual na Inglaterra no século XX, abordando tanto aspectos biográficos quanto sua contribuição para o tema da sexualidade e a psicologia do sexo. Há também o trabalho de Miguel, Elgarresta e de la Hera sobre as práticas médicas em Reflexoterapia Endonasal utilizadas pelo Dr. Fernando Asuero nas primeiras décadas do século XX, na Espanha. E, ainda, López-Muñoz, Pérez-Fernández e Álamo trazem uma pesquisa sobre as relações entre Cervantes e Freud, apontando para as possíveis influências da obra do escritor espanhol sobre Freud e suas teorias no campo da Psicanálise.

            Terminamos a presente resenha tecendo breves comentários sobre a publicação do último boletim (nº 53) da SEPH, também em dezembro do último ano. Neste número, o leitor encontrará no sumário as seções de artigos, resenhas críticas e, mais ao final, um texto de Sanchéz-Moreno na seção “El desván de psi“.

            A seção de artigos conta com dois textos: o primeiro escrito por Balltondre sobre a história do inconsciente paranormal e o segundo que é um trecho de um texto de marquês de Santa Clara, publicado em 1924, em que ele apresenta uma sessão de hipnose com uma médium.

            Já a seção de resenhas críticas é composta por  resenhas de livros, de eventos científicos e também de teses de doutorado. De maneira geral, os 6 livros comentados foram publicações dos últimos 3 anos nos campos da História, História da Psicologia e História da Psiquiatria, conforme pode ser observado abaixo:

1) Luciano Nicolás García. Smith, Roger (2013). Between Mind and Nature. A History of Psychology. Londres: Reaktion Books.

2) Héctor García de Frutos. Greenfeld, Liah (2013). Mind, Modernity, Madness: the Impact of Culture in Human Experience. Londres: Harvard University Press.

3) José Carlos Loredo Narciandi. Cuchet, Guillaume (2012). Les voix d’outre-tombe. Tables tournantes, spiritisme et société au XIXe siècle. París: Éditions du Seuil.

4) Rafael Huertas. Berrios, Germán (2008, reimpresión, 2013). Historia de los síntomas de los trastornos mentales. La psicopatología descriptiva desde el siglo XIX. México DF: Fondo de Cultura Económica.

5) Hernán Camilo Pulido-Martínez y Daniel Peralta De Zubiría. Ardila, Rubén (2013). Historia de la Psicología en Colombia. Bogotá: Manual Moderno.

6) Emilio García. Carpintero, Helio (2014). Luis Simarro. De la Psicología científica al compromiso ético. Valencia: Universitat de València.

             As resenhas de eventos científicos totalizam 3 textos sobre os eventos ocorridos no segundo semestre de 2014: 1) 28th International Congress of Applied Psychology, por Ana Maria Jacó-Vilela; 2) XXXIII Simposio de la European Society for the History of the Human Sciences, por Andrea Graus; e 3) XV Encuentro Argentino de Historia de la Psiquiatría, la Psicología y el Psicoanálisis, por José Carlos Loredo Narciandi.

            Seguindo a leitura do boletim, encontraremos as considerações de Víctor Pérez i Flores sobre sua tese de doutorado intitulada ” Estudi i edició d’Eugeni d’Ors: Curs sobre els fenòmens de l’atenció. Estudis Universitaris Catalans, Hivern de 1909.” e defendida em setembro de 2014 no Departament de Filologia e Comunicació da Universitat de Girona, Espanha.

            O boletim termina com o texto de Sanchéz-Moreno que é uma homenagem a Charles Henry e Louis Favre pelos seus estudos no campo experimental para a solução de problemas de sinestesia musical. O autor relata algumas das experiências malsucedidas realizadas por Henry e Favre e levanta a possibilidade de que elas teriam contribuído para uma “auto-repressão” da Psicologia para testar modelos teóricos no campo artístico.

            Por fim, lembramos aos leitores que tanto as publicações da Revista de Historia de la Psicología, desde seu primeiro volume publicado em 1980, quanto os boletins informativos da SEHP, podem ser encontrados nos endereços eletrônicos disponibilizados logo abaixo. Boa leitura a todos!

 Links para acesso

Vol. 35, nº 03:

http://www.revistahistoriapsicologia.es/revista/2014-vol-35-n%C3%BAm-3/

Vol. 35, nº 04:

http://www.revistahistoriapsicologia.es/revista/2014-vol-35-n%C3%BAm-4/

Boletim nº 53 da SEHP

http://sehp.org/Boletines/BSEHP_53-2.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s