Refletindo sobre a produção, circulação e avaliação da ciência

Os movimentos acadêmicos de combate às formas de controle da pesquisa por grupos específicos tem crescido nos últimos anos. Um dos critérios bem estabelecidos na comunidade científica internacional é o fator de impacto. Devemos lembrar que ele é derivado do controle de grupos editoriais sobre a publicação científica majoritariamente realizada por grupos de língua inglesa. Sobre este tema caberia lembrar movimentos e reflexões recentes, de caráter mais amplo, como o Slow Science e o Salami Science.

Quanto às publicações e formas de avaliação da pesquisa é importante lembrar os movimentos de combate ao controle promovido pela universalização da indexação como critério maior de avaliação. Acessem, neste sentido, o http://www.scientificjournals.org/, o http://thecostofknowledge.com/, http://oaspa.org/,  entre outros. A indexação, cujo aspecto positivo corresponde à facilitação do acesso à informação, tem sido gerida comercialmente e utilizada para “qualificar” a produção.

Certamente há muitos movimentos de que, nem sequer, ouvimos falar. Resgatamos aqui o movimento ocorrido nos últimos anos na Europe em que um grande número de editores de revistas relevantes decidiram coletivamente não participar de indexadores atualmente poderosos.

A declaração de São Francisco, recentemente divulgada, apresenta um tom um tanto acanhado na medida em que defende a avaliação centrando suas forças na diminuição do alcance do fator de impacto. Com esta matérias apresentamos reflexões sobre nossa atividade de pesquisadores.

Antes de ser una  noticia de especial interés para la comunidad de investigadores en la Historia de la Psicología iberoamericana, nosotros como editores del Blog de la RIPeHP, creemos que esta es una noticia que le importa a todas las comunidades de investigadores en todas las áreas, de todo el mundo.

Logo DORAA Declaração de San Francisco em Research Assessment (DORA), iniciada pela Sociedade Americana de Biologia Celular (ASCB), juntamente com um grupo de editores e editoras de revistas científicas, reconhece a necessidade de melhorar as maneiras pelas quais os resultados da pesquisa científica são avaliados. O grupo reuniu-se em dezembro de 2012 durante a Reunião Anual ASCB em San Francisco e, posteriormente, fez circular um projecto de declaração entre os vários intervenientes. DORA na sua forma atual beneficiou-se de entrada por muitos dos signatários originais para gerar um abaixo assinado que é uma iniciativa mundial abrangendo todas as disciplinas acadêmicas. Pessoas e organizações que se preocupam com a avaliação adequada de investigação científica são encorajadas a assinar DORA. Para assinar individualmente ou como instituição, clique aqui.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s